Hoje no Hoops

Psicologia Social
voltar à página inicial





Final do concurso de novos talentos musicais
ROCKMUSIC CHALLENGE 2002
 

Dia 15 de Novembro, 22h, noite pouco aconselhável a saídas nocturnas uma vez que o tempo assim não o aconselhava. Bandas ? Portuguesas e muito boas.
Ao contrário do que se prevê num espectáculo recheado de talentos nacionais,
o HARDCLUB encheu para assistir à final de um concurso que demorou 2 meses até descobrir a grande vencedora do ROCKMUSIC CHALLENGE 2002.
Em jogo estavam os ASHFIELD, banda oriunda do SEIXAL, iniciando a noite com
um profissionalismo e dinamismo difícil de encontrar em grupos sem contrato discográfico. Brilhante a adaptação da nova vocalista num curto espaço de tempo...uma promessa...
Os MURANGUS encantaram o HARDCLUB com a sua verte INDIE / POP, uma voz
magnífica, o equilíbrio e harmonia musical dos MURANGUS contagiaram tanto o
público como o Júri. Os Algarvios dignificaram uma região onde por norma não se encontram grande expoentes da música nacional efectuando um espectáculo digno de uma banda vencedora..o " problema " em jogo era o facto das 4 bandas estarem psicologicamente e tecnicamente preparadas para vencer...e ainda bem!
Um pouco deslocados das sonoridades musicais presentes, os DOINK assumiram
as despesas da casa em termos de prestação. A sua entrada foi fulminante e sua vertente METAL / HIP HOP levou o HARD CLUB ao rubro. Sem papas na língua os DOINK são a grande promessa das novas sonoridades nacionais em jogo...
A noite já era longa e as cerca de 500 pessoas presentes no HARDCLUB
assistiam a um desfilar de " CARNE MUSICAL FRESCA ", os lisboetas FUNKOFFANDFLY, considerada a melhor banda tecnicamente falando da noite, conseguia aliar o seu funk musical com o seu funk visual. Um aquecimento para a banda convidada ( LF COOL )? Não! Os FUNKOFFAND FLY apresentaram-nos um grande concerto animando e contagiando o publico presente. Sem dúvida uma banda para os amantes da FUNKY GENERATION!
Como banda convidada Oficial para encerrar o evento, os " nossos " LF COOL
" brilharam profissionalismo ao apresentarem o seu album de apresentação LOW COOL FREQUENCY. Entraram e saíram na hora H...em grande, para a organização são a banda revelação de 2002.
Terminadas as actuações de todas as bandas presentes seria o grande momento
da noite ou a grande desilusão da noite...os concursos são assim mesmo!
Os vencedores eram os algarvios MURANGUS que levariam para casa 2.500.00
Euros em instrumentos Musicais YAMAHA a adquirir na ROCKMUSIC, o convite oficial FNAC para uma Tour em todos os FORUNS FNAC, um video / report ofertado pela FILBOX Produções / NTV, Um Tlm NOKIA Ofert da OPTIDOURO e um prémio surpresa oferecido pela ROCKMUSIC.
Opiniões subjectivas existem sempre mas o mais importante a relatar, no fim
de todo este projecto que recebeu 16 bandas e apurou 4, é o facto de o HARDCLUB ter recebido uma noite 100% nacional com um registo de publico presente ao nível de uma noite " internacional ".
Todos os 4 projectos em jogo podem-se considerar vencedores ao serem
recebidos, promovidos e tratados como tal perante uma NTV cada vez mais
empenhada em apoiar projectos nacionais, uma YAMAHA com a personalidade do
seu SLOOGAN " Creating KANDOO together ", uma 123SOM digna de registo, uma FNAC com interesses extra comercias, uma OPTIDOURO / OPTIMUS sensivel a este
tipo de eventos, um HARDCLUB como o berço dos grandes projectos Nacionais e a ROCKMUSIC Instrumentos Musicais como mentora e produtora do evento...

Ricardo Dias

 

 



A Guerra da Informação

A globalização, as telecomunicações, o acesso à informação, as novas tecnologias, o terrorismo, são o quotidiano do mundo de hoje, o preço do desenvolvimento e ao mesmo tempo das desigualdades ao nível social e da oportunidade. 

Há quem tenha explorado ao máximo as conquistas tecnológicas da Humanidade – referimo-nos especificamente aos terroristas.

Amiúde chegam-nos notícias de que estes possuem sofisticados meios de telecomunicações, sites na Internet, para além da desgraçada possibilidade de possuírem armas de destruição maciça.

Com efeito, assim é, já que as organizações terroristas apesar de estarem geograficamente dispersas, revelaram uma extraordinária capacidade de planeamento, elaboraram uma minuciosa ordem de operações e desencadearam uma cruel - mas excelente – conduta, nas acções de ataque aos alvos americanos no trágico 11Set01.

Como combater então o terrorismo? 

1. Atacar as suas sedes ou possíveis aliados no Afeganistão, Sudão, Iraque, Síria etc.

2. Retirar-lhes a capacidade de acesso às novas tecnologias.

A American Society for Industrial Security, que conta com mais de 30.000 colaboradores, é uma organização que muito se preocupa com este tipo de questões, centrando a sua atenção na segurança.

Existem por outro lado, programas específicos nos EUA para execução de espionagem electrónica, como sejam a leitura de e-mail e a vigilância por satélite.

Um destes programas é o sistema de espionagem electrónico do governo americano denominado Carnivore.

Contudo este tipo de programas levantam sempre outro tipo de questões como sejam os direitos de privacidade dos cidadãos. Por um lado queremos mais segurança e que esta nos leve à eliminação do terrorismo internacional, por outro lado temos consciência da falibilidade e imperfeição das organizações e dos grupos sociais, e que como tal possam, de forma arbitrária, recolher e utilizar a informação relativa a todos nós, comuns cidadãos.

Em substituição da Guerra Fria vivemos a Guerra da Informação, mas a grande questão que se coloca é a seguinte:

Será que se não forem adoptadas medidas urgentes, pelos países mais poderosos e ricos, tendentes a minorar as desigualdades sociais ao nível mundial, a tecnologia será o remédio para todos os males?

Carlos Rodrigues




Jornadas de reflexão sobre a problemática das comunicações e acesso à informação no âmbito da protecção civil.

Decorreram em 03Out02 no Centro de Congressos do Estoril as jornadas de reflexão sobre a problemática das comunicações e acesso à informação no âmbito da protecção civil, organizadas pela Protecção Civil Portuguesa e presididas pelo secretário de estado do Ministério da Administração Interna. Estiveram presentes, entre outras entidades, representantes do Estado Maior General das Forças Armadas, da Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança, Polícia Judiciária, Serviços Prisionais, e Ramos das Forças Armadas.

Os principais temas foram abordados pelos Coronéis Engenheiros, Carvalheira Porfírio e Bento Varela em representação da GNR e PSP, referindo o obsoletismo dos meios de comunicações das Forças de Segurança e a necessidade de instalar novos equipamentos nas centrais de atendimento de emergência 112. A organização do Euro 2004 implica um esforço redobrado na segurança e consequentemente nas infra-estruturas de telecomunicações.

Foi relatada pelo Coronel Oliveira Ferrreira do EMGFA e pelo Presidente do Serviço de Protecção Civil da Madeira, a experiência da integração de meios de comunicações na Região Autónoma da Madeira, que servem vastas entidades, como sejam o SRPCM, o EMGFA, a PSP, a Brigada Fiscal da GNR e os Ramos das FAs, meios estes mantidos pela Portugal Telecom.

A possibilidade de ocorrerem catástrofes naturais e os reflexos do ataque terrorista do 11Set01, constituem forte preocupação das entidades envolvidas, razão fundamental que levou à realização deste evento inédito em Portugal.

 


Hold The Door For Others, Inc. surgiu como resposta ao trágico evento de 11 de Setembro de 2001. É uma organização sem fins lucrativos, com o objectivo de apoiar e a ajudar todos aqueles que perderam alguém ou algo a lidar com essa situação (ex.: divórcio, amizades, etc.), e que apesar de tudo isso poderão ainda vir a realizar algo precioso.

Não somos os únicos a divulgar esta organização, temos ao nosso lado os seguintes apoios:

Families of September11.org          News.com          Preachingplus.com

MSN.com       ia.nbc30.com       Timesdispatch.com       Northjersey.com

 


Topo

 

O HOOPS     Mapa do Site    E-mail   Ajuda
© 2001 HOOPS. Todos os direitos reservados.