Voltar à página da Saúde
Saúde/Medicina


Miopia, hipermetropia e astigmatismo. O que é isso?





Ametropias

A miopia, a hipermetropia e o astigmatismo são erros refractivos, ou seja, erros na capacidade que o olho tem de refractar a luz e focar os raios luminosos na retina.

A luz que devia ser focada na retina (ver figura 1 em que R significa retina e F o foco dos raios luminosos) passa, devido à existência destes erros a ser focada para cá da retina (no caso da miopia: ver figura 2) ou para lá da retina (no caso da hipermetropia: ver figura 3).

  


       Figura 1: emetropia

  

 

 

 

 

Figura 2: miopia


         Figura 3: hipermetropia

 

 

Como é que isto aparece? 

As causas são variadas mas resumem-se nos seguintes grupos:

·        Alteração da posição das estruturas ópticas

  • Na miopia o olho é maior que o normal ou o cristalino está muito para a frente

  • Na hipermetropia o olho é mais pequeno que o normal ou o cristalino está muito para trás

·        Alteração da curvatura da córnea

  • Na miopia curvatura da córnea grande

  • Na hipermetropia curvatura da córnea pequena

·        Alteração do índice de refracção do cristalino

  • Na miopia o cristalino refracta muito os raios luminosos e foca-os muito perto, antes da retina

  • Na hipermetropia, o cristalino refracta pouco os raios luminosos e foca-os muito longe, para lá da retina

·        Ausência de um elemento do sistema óptico

  • Geralmente é a ausência de cristalino quando a pessoa foi submetida a cirurgia de extracção de catarata.

  

No caso do astigmatismo é mais complicado porque existem diferentes meridianos da córnea com diferentes potências dióptricas e cada um deles vai focar a imagem num plano, para cá ou para lá da retina. Isto significa que num plano de corte horizontal, por exemplo, a córnea tem maior curvatura do que noutro plano, por exemplo, no vertical. Assim, a pessoa vê as imagens desfocadas. 

Mas o que é que tudo isto significa? O míope vê mal ao perto ou vê mal ao longe?

O míope converge bem os raios luminosos, por isso quando vê ao perto, em que é preciso essa convergência, vê bem. Ao ver ao longe, os raios luminosos são focados para cá da retina e não consegue ver bem, vê as imagens desfocadas.

O hipermétrope não converge bem os raios luminosos, por isso quando vê ao perto os raios luminosos são focados para lá da retina e vê as imagens desfocadas. Quando vê ao longe esta convergência não é necessária e por isso vê bem ao longe.

 

Bibliografia:
Vaughan et al: General Ophtalmology. 13ª Edição. Appleton & Lange Editora. 1992.


Refractar é parecido com reflectir mas não é a mesma coisa. Uma luz quando é reflectida não atravessa o objecto que a reflectiu mas é projectada por ele noutra direcção. O que acontece na refracção é que os raios de luz atravessam o objecto e são desviados.

 

Cristalino
Para focar os raios luminosos na retina existem 2 lentes fundamentais: a córnea que se encontra na superfície anterior do olho e o cristalino que se encontra no interior do globo ocular, atrás da íris. A córnea tem cerca de 40 dioptrias de potência dióptrica e o cristalino 20.

Topo Voltar ao topo da página

 


O HOOPS     Mapa do Site    E-mail   Ajuda
© 2001 HOOPS. Todos os direitos reservados.